A minha Alice faz hoje dois meses de vida. Sou pai recente, têm que me perdoar a lamechice. É coisinha mais linda do mundo, a minha rica filha.

Aconteceu o que pensava ser impossível, em relação ao primeiro mês de vida da Alice. Cada vez mais, cada dia que passa, gosto mais da minha filha. No primeiro mês e em especial no dia em que ela nasceu, o coração ia-me rebentando. Pensei que gostar mais era impossível. Mas não é. A minha Alice deixou de dormir no meu colo, assim como se fizesse parte dele. E o cocó dela já não cheira a flores. Mas basta ela lançar aquele olharzinho para mim, que o resto do mundo fica na pausa. Não existe mais nada, além do meu olhar e do olhar dela. Nem falo quando para além do olhar, ela também se ri. Bem, aí quase morro de tamanha felicidade. Tem graça como vou percebendo, assim de uma forma mais afincada, que as coisas mais bonitas da vida são as mais simples. Obrigado Alice.

A Alice para além de ser perfeita (é para verem como eu ando), é muito tranquila, bem disposta e gosta cada vez mais de passear. Uma pessoa pode ter mais sorte na vida? Pois, também acho que não. Com dois meses de vida, já percebe perfeitamente o que significa sentar-se naquela cadeirinha mais apertada. Ela fica com cara de satisfeita e eu digo-lhe: “Sim, filha. Vamos passear.”. Acho que ela só não percebe como o pai também fica feliz com isso. E para celebrar este feito, ou estes feitos, os dois meses de vida e o ela gostar muito de passear, nos próximos dias vamos fazer um passeio a sério. Sim, vamos fazer a primeira grande viagem a três e vamos ficar uma semana fora de casa. Não, não vamos para a India. Vamos para o Algarve. Mas vai ser uma aventura que vamos recordar para sempre. Vai ser a primeira de muitas. Ainda dei o meu máximo para a mãe Liliana lhe comprar um fato de banho e uma bóia, assim tipo golfinho, mas não me deixou. Sim, a Alice ainda só tem dois meses, ainda não pode mergulhar. Sim, não quero que o tempo passe rápido. Temos tempo. Mesmo sem mergulhos e sem bóia, estou em modo adrenalina, cheio de vontade de cheirar o mar com a minha Alice e claro, com a mãe Liliana. Só os três faz sentido.

Hoje foi assim um dia meio complicado. Sem dúvida o pior deste segundo mês. A Alice levou duas picas. Sim, esse momento dramático para todos os pais que gostam dos filhos. Sim, ela chorou com lágrimas e eu ia morrendo. A mãe Liliana fez-lhe um bolo muito bonito, com vela e tudo. Mas só o vamos comer amanhã. Hoje a Alice tem as pernas doridas das picas e o pai (e mãe) só querem que ela volte a rir. Tudo normal.

Bem, vou agora dar mais um beijinho na Alice. Se calhar dou dois. 

 

 

 

 

 

 

 



INSTAGRAM



 

Comentários

comments