Aldeia de Candal. Pertence ao concelho da Lousã, é rasgada ao meio pela Ribeira de Candal e membro orgulhoso das Aldeias do Xisto. É como um anfiteatro de casas de pedra, cuidadosamente incorporado na bonita Serra da Lousã.

Para quem faz a estrada Lousã-Castanheira de Pêra, Candal é impossível não se fazer notar. É, talvez, uma das aldeias do xisto, da Serra da Lousã, mais acessíveis. Não diminuindo o grau de impactação, pelo menos para quem a vê pela primeira vez. Tal como muitas outras aldeias, no passado, foi habitada por agricultores e pastores. No caso de Candal, e ao contrário de outras aldeias serranas que quase sofreram um abandono total com imigração e migração, o êxodo humano apenas foi parcial, já que, os agricultores e pastores, deram lugar a cantoneiros e madeireiros como habitantes da aldeia. Muito por culpa do fácil acesso à mesma, ao contrário de muitas outras aldeias das redondezas da serra. No dias de hoje, o turismo e as casas de fim-de-semana, acredito que preencham o dia-a-dia da aldeia, sendo uma população em constante rotação.

Uma espécie de base de apoio, obrigatória, para quem passa pela serra.

 

 

Esta história pertence ao projeto Retratos do Centro de Portugal. Vão ser construídos 365 retratos, 365 pequenas histórias, sobre toda a grande Região Centro de Portugal. Podem consultar todos os retratos aqui.

 

HOME    HISTÓRIAS

AUTOR    PRESS   

CONTACTOS

facebook  /  instagram  /  twitter

O Meu Escritório é lá Fora!, todos os direitos reservados © 2019