É isto. A vida é engraçada. Nos últimos anos, aqueles em que tenho construído a minha vida em paralelo com O Meu Escritório é lá Fora!, a minha vida tem dado voltas que nunca pensei como possíveis. Muitas vezes falo em público sobre temas como “ser sonhador”, “seguir os sonhos” ou “podemos ser (quase) tudo aquilo que quisermos”. Acho que muitas vezes olham para mim, ou como alguém olha para alguém com muita sorte (tipo, as coisas caem do céu), ou com aquele olhar típico de quem esta a pensar: “este gajo é maluco e não sabe o que está a dizer”. Mas é verdade, podemos ser (quase) tudo aquilo que quisermos. Com uma dose talento, é claro, e com uma grande dose de trabalho (coragem e perseverança). Fui convidado para fazer parte da comissão de honra e dirigir um seminário, numa Pós-Graduação, com o tema (e nome) “Turismo 4.0 – Estratégias Online”, da Universidade Europeia. Muito feliz, é como estou.

Isto para mim é um sonho. Depois de tudo o que passei, fugir de ser Engenheiro Civil, criar um escritório lá fora, fazer uma autêntica travessia do deserto em busca de mim mesmo, ter um convite deste género, é um sonho. Mas eu sou um sonhador. Profissional. E o Meu Escritório é, acima de tudo, uma plataforma de realização de sonhos. Não utópicos, mas bem reais. E esta é mais uma conquista.

Quando fiz 30 anos fiz uma viagem entre Bragança e Abrantes, devagarinho, com uma mochila às costas e de bicicleta. Ninguém me conhecia, não tinha ganho nenhum prémio, já escrevia as minhas histórias, já tinha o meu blog, meia dúzia de pessoas liam o que eu escrevia (a maioria família e amigos). Sempre acreditei, na aquela altura já tinha quase a certeza, que o Meu Escritório poderia ser algo especial. Mas nunca pensei que passados apenas 2 anos, eu fosse profissional do Meu Escritório, tivesse milhares de pessoas a ler o que escrevo, milhares de pessoas a ouvirem-me em palestras e, constantemente, a ser reconhecido pelo trabalho que faço. Como é o caso do convite, que me levou a escrever estas palavras. É caso para dizer “bolas, isto vale mesmo a pena!”. Sim, “isto” é a vida. 

Não sonho em ter uma estátua como o Ronaldo ou em aparecer a minha fotografia em tudo o que é revista. Sonho em ser feliz. Com coisas e conquistas muito simples. Muito mais do que prémios ou aplausos, sou feliz em dizer aos meu pais, e à Liliana, que fui convidado por uma Universidade (e logo uma Universidade que reconheço um valor imenso…sim, se eu tivesse agora 18 anos ia para o IADE (que pertence à Universidade Europeia)) a trabalhar com eles, com 32 anos, e graças a um trabalho que eu criei e imaginei. Sou feliz porque faço aquilo que gosto, todos os dias. E todos os dias faço uma coisa diferente, e espero que seja assim para sempre. Enquanto não tiver medo de ser feliz (porque dá muito trabalho), vai correr tudo bem.

Acho que ainda não escrevi isto. Aceitei o convite. 😉

Nota: na parte do trabalho, aquela parte importante na conquista dos sonhos, a formação é elemento essencial. Se quiserem aprender e inspirarem-se em exemplos como o meu, e em outros parecidos (sou apenas um, numa equipa gigante e competente), acredito que esta pós-gradução pode ser uma forma ou uma etapa da vossa conquista. Quem sabe não nos vemos por lá.

+info: TURISMO 4.0 – ESTRATÉGIAS ONLINE

Comentários

comments