Tal como todas as boas histórias, o melhor é começar pelo inicio. E o inicio desta história, remonta ao final de Setembro, altura em fui convidado pela Indie Campers para embaixador da marca. Lembro-me perfeitamente do dia em recebi o email com o convite, onde me perguntei: “mas o que é isto da Indie Campers?!”. Na altura fiz uma pesquisa rápida no google e facebook, e fez-me logo brilhar os olhos (algo que me acontece quando fico entusiasmado) quando percebi o conceito desta malta. Tão simples, tão complexo e ao mesmo tempo tão: “porque não me lembrei disto antes!”. Conceito: READ MORE

Share:

50 experiências que tem de viver em Portugal. A segunda parte de tão maravilhosa lista. Se quiser ver a primeira, é clicar AQUI.

#APANHAR SOL E MANDAR UNS MERGULHOS NA PRAIA DA BARRA VELHA

Eu pensava que conhecia bem o Algarve, até que, no ano passado, descobri a praia da Barra Velha (como é possível passar 30 anos da minha vida, com esta pérola mesmo ali ao lado e sem dar por ela). Fica em plena Ria Formosa, em frente à Fuseta. Saltou logo para as minhas praias favoritas de todo o sempre. O acesso só é possivel de READ MORE

Share:

São 10h29 em Portugal continental. A Primavera chegou. 

Epá, gosto tanto da Primavera. Por tudo, mas principalmente porque acaba o Inverno. Deixa-me deprimido e com frio nos pés. É chato. 

Nesta altura sinto-me uma verdadeira flor a ganhar nova vida. Deixo os casacos (aqueles com pelo por dentro) no armário, apanho um sol na cara e fico cheio de vontade de explorar novos lugares para instalar o Meu Escritório. Sim, isso vai acontecer em breve (tipo, já!). Gosto da cor, dos cheiros e do aproximar do Verão. Sim, sou um rapaz do calor. Gosto das noites mais quentes e dos READ MORE

Share:

Vou direto ao assunto. 50 experiências (esta ainda é só a primeira parte, portanto 25) que tem de viver em Portugal. Sim, isto é uma bíblia das coisas boas.

#COMER AÇORDA DE BACALHAU NO ALENTEJO

É assim, comer no Alentejo é das melhores coisas que existem no mundo. Comer Açorda de Bacalhau no Alentejo, entra para aquele espaço (bastante) restrito de coisas que são do outro mundo.

#SUBIR À MONTANHA DO PICO

Na ilha do Pico, ilha do meio do Oceano Atlântico com 42km de comprimento, está o ponto mais alto de Portugal. Lá em cima, 2350m acima do nível READ MORE

Share:

É com extrema felicidade que anuncio a minha entrada para a equipa de viajantes The Wanderlust​ (www.thewanderlust.pt).

Um agência de viagens bastante particular, especializada em viagens de autor. Bastante focada no genuíno e viver os locais como um local.

E em termos práticos, o que isto quer dizer?

Que vou levar um pequeno grupo de pessoas a viajar comigo por alguns dos locais que mais gosto. Parece bem, não? 😉

Posso adiantar que a primeira viagem que podem fazer comigo, já tem data e local, apesar de ainda não estar disponível no site para reserva. Prometo avisar READ MORE

Share:

Mar de Serra. O nome, faz sentido. Uma pequena casinha (na verdade são duas), imersa no Parque Natural das Serras d’Aire e Candeeiros (PNSAC). Tão perto e tão longe do mundo das pessoas, das luzes e dos carros. Já estou a adiantar o final, é uma espécie de mergulho na Natureza, este Mar de Serra. 

Curiosamente cheguei ao Mar de Serra vindo, literalmente, do mar (sim, aquele de água salgada). E logo do gigante mar da Nazaré. Esta casinha mergulhada no verde áspero, provocado pela mistura tão típica desta região, de vegetação e pedra, fica a pouco mais de READ MORE

Share:

Faial. Ilha dos Açores, perdida no imenso Oceano Atlântico, de uma beleza incrível.

Esta terra de navegadores, tem tanto de pequeno como de interessante e bonito.

Poderiam ser 80, mas recomendo 8, muito boas, experiências para ter na ilha do Faial.

#TRILHO DOS 10 VULCÕES

Começa na Caldeira do Faial, ponto mais alto da ilha, e termina junto ao mar no Vulcão dos Capelinhos. São 25km de trilho. Um dos mais bonitos que já fiz. Começa no verde imponente do “alguidar” gigante da Caldeira, passa mundos diferentes, com paisagens completamente distintas. Parece que estamos a saltar entre diferentes cenários de READ MORE

Share:

Casa do Foral. Casa do séc. XIX, convertida em Turismo de Habitação. Com traço ribatejano, mas com alma multicultural. Fica em Rio Maior, Ribatejo, a 25km da capital de distrito, Santarém. Tem coração ribatejano, mas é inspirada (ou influenciada) por diferentes culturas e paisagens. Fica na “porta” Sul do, interessantíssimo, Parque Natural das Serras d’Aire e Candeeiros, e a “dois passos” da Costa Atlântica (Peniche, Foz do Arelho e Nazaré, por exemplo). Dois pontos, culturalmente, bem distantes da Lezíria, touros, cavalos e Fandango do Ribatejo. Estas diferentes influências tornam difícil revelar um identidade forte, mas não vejo isso como READ MORE

Share:

Ler. Esta coisa de viajar sem sair do lugar, que muito vezes nos levam, literalmente, a sair do lugar. A literatura de viagem, a mim, sempre me inspirou. Julgo que teria sido bem diferente. Agradeço a alguns autores (não falo com eles, muitos já não pertencem ao Mundo terrestre…mas agradeço-lhes 😉 ), quase todos dias, pela inspiração.  Espero, de coração, mesmo que em pequenas coisas, conseguir inspirar. Pelo menos, com um simples “é possível!”. 

Espero, sinceramente, que sigam esta minha recomendação. Tão ou mais importante do que recomendar destinos. Ler é, também, sonhar. Poderão encontrar o vosso próprio destino. Sim, READ MORE

Share:

Sou ribatejano, mas sempre tive uma afinidade muito grande com o Alentejo. Gosto daquilo. Sobretudo, sinto-me muito bem por lá.

O tempo passa devagar, a comida é muito boa e as pessoas são de uma simpatia extrema. Depois é uma região enorme, com uma diversidade enorme (quer dizer, enorme é o Sahara. É enorme, para o tamanho que tem Portugal 😉 ). Tem rio, mar, planície e serra, não esquecendo um imenso legado histórico. Na cultura e no património edificado.

Vou sugerir 6, mas podiam ser 150.

#VISITAR UM CASTELO (também vale palácios)

Poderia estar aqui um bom bocado a READ MORE

Share:
Page 1 of 16123410...Last »