O título diz tudo. Aventuras para uns, corridas para outros. Eu estou mais para o lado da aventura. Estes eventos de BTT, têm a particularidade de estarem acessíveis a “todos” (todos os que tenham capacidade para isso e um atestado médico a comprová-lo). Portanto, é fácil sonhar.

E é isso que ando a fazer. Sonhar (olhem que sou um daqueles que não sonha só, de vez em quando lá trago um sonho para a terra). Sou completamente avesso à competição. Mas um desafio (duro) de vários dias, por lugares que têm tanto de mítico como de bonito, é claramente algo READ MORE

Share:

Esta foi a etapa mais longa (cerca de 25km), a mais emocionante e a que merece a descrição mais curta. Porquê? Porque todo o caminho é passado a pensar numa só coisa: “chegar a Santiago, chegar a Santiago”. 

Mesmo que o inconsciente te diga para fazeres outra coisa, não há hipótese. Parece que Santiago tem um força qualquer, que quando te aproximas dele, te absorve por completo. Só hoje olhei com atenção para os marcos do caminho que indicam os quilômetros. Nos outros dias quando dizem 118.583 ou 72.459, pouco dizem, mas começas a ver 10.429 ou 3.245 começas a READ MORE

Share:

O dia começou de uma forma bastante atribulada, com o meu vizinho de cima (o que dormia na cama de cima no beliche), um espanhol com cerca de 60 anos, chamado Xavier, a perguntar-me às 6h00 se tinha visto o telemóvel dele. Só apeteceu dar-lhe o meu (na cabeça dele). O Xavier não tem bem o estilo peregrino e assim que chegou ao quarto a primeira que disse foi perguntar-me se eu ressonava, num tom não amigável. O Xavier também tinha a particularidade de não entender uma única palavra que eu dizia, seja um portunhol, em português ou em inglês, READ MORE

Share:

O meu dia começou por volta das 7h00. Mais uma vez fui um dos últimos a sair do albergue. Mais uma vez comecei a caminhar de noite. Até me levantei bem, levando em conta a dor nas pernas que tinha ontem (acho que foi por ter sido de longe a noite em que dormi melhor). 

Esta etapa (de cerca de 23km) começou de forma majestosa. Como o albergue onde fiquei fica na zona sul de Pontevedra, junto à estação de comboios, o caminho levou-me a atravessar toda a zona histórica de Pontevedra (com particular destaque para a Igreja de la READ MORE

Share:

Dormi mal, mas acordei bem. Entre o ressonar dos vizinhos do lado (um velho clássico do caminho) e os barulhos (gritos) vindos do exterior protagonizados pelos jovens de Redondela (típicos de quem bebe mais de 5 cervejitas 😉 ), numa animada noite de sábado, acho nunca consegui dormir mais de 1 hora seguida. Quando embalei finalmente, os meus colegas deram o toque de alvorada, entre arrumos e partidas. À 7h15 estava pronto para começar a caminhada até Pontevedra.

Era noite quando comecei a caminhar, estava bem disposto, mas a noite mal dormida ninguém me tirava. Desta mistura tive alguma dificuldade READ MORE

Share:

Após um dia cheio de peripécias, de querer “feito parvo” fazer o caminho à pressa e de ter mudado o chip a meio para o modo “isto é o caminho de santiago, é desfrutar”, hoje o dia foi o que se esperava, tranquilo. Fiz os cerca de 20km entre Porriño e Redondela na maior das calmas.

Levantei-me às 7h30 e fui o último a sair do albergue, a maior parte da malta às 6h já tava em pé. Se soubessem que ontem comecei a andar quase às 3h da tarde, era expulsão automática dos caminhos de santiago 😉 . READ MORE

Share:

Hoje foi um dia de loucos (deu para ver que o coração estava a trabalhar bem). Comecei o dia às 7h (não dormi quase nada porque o colega do beliche ao lado passou a noite a tentar imitar (muitas vezes conseguiu) o barulho de um camião a descarregar pedra (a ressonar como nunca ouvi 😯)), saí do hostel (Bluesock, muito bom!) caminhei para a estação de São Bento, aí apanhei o comboio para a estação de Campanha e aí iria apanhar o comboio para Valença. Tudo tranquilo até aqui. Agora o momento chave do dia: entrei o comboio, como READ MORE

Share:

É isso. Neste momento estou no Porto (essa bela cidade), amanhã bem cedo apanho um comboio para Valença do Minho e aí começo a minha jornada a pé (sim a pé) até Santiago, pelo mítico Camino de Santiago (essa verdadeira instituição).

Não é a primeira vez que faço este caminho, mas é a primeira vez que o faço a pé (já o fiz de bicicleta). Estou (mesmo agora) a passar pela fase de ansiedade pré-viagem (calma que não é nenhuma doença!! 🙂 por mais que viaje, acontece sempre, acho que ainda bem), onde passo o tempo a antecipar o READ MORE

Share:

E assim termina esta aventura olímpica! Foram 13 dias no Rio de Janeiro, uma experiência incrível, em que conheci pessoas maravilhosas, algumas delas grandes ídolos da minha infância. O espírito de companheirismo da nossa delegação esteve presente ao longo de toda a missão e, mesmo quando as coisas corriam menos bem, estávamos todos juntos.

Neste últimos dias o momento mais marcante foi, sem dúvida, a cerimónia de encerramento (um momento que ansiava desde a chegada ao Brasil 😊), desfilámos no grandioso Maracanã, juntamente com todas as outras delegações presentes nos Jogos. Foi um momento marcante, do qual vou sempre guardar READ MORE

Share:

Como sabem terminei a minha participação nos Jogos Olímpicos com um 16o posto. Um resultado que não é o que gostaria mas foi o que consegui atingir, tendo dado o meu melhor em todas as provas que dispute. Considero que ainda me falta alguma experiência nas competições ao nível de sénior mas só com o passar do tempo e fazendo mais provas é que a vou adquirir!

A minha vitória foi a qualificação para estar aqui a defender as cores de tudo o que represento! No entanto, um atleta quer sempre mais, raramente fica satisfeito com o resultado porque quer READ MORE

Share:
Page 1 of 3123