Açores, Travel

10 experiências (obrigatórias) em São Miguel

São Miguel, Açores. Uma espécie de paraíso.

Existem pessoas com as quais criamos uma maior empatia. Existem pessoas que, de uma forma natural, conseguem conquistar (quase sempre) empatia por parte de outros. Com destinos (locais) passa-se o mesmo. Existem destinos com os quais criamos uma empatia imediata, muitas vezes sem conseguirmos estabelecer uma razão e, existem destinos que de uma forma bastante natural, tornam a (conquista da) empatia como acontecimento padrão. Comigo, a empatia com São Miguel foi imediata e mais tarde percebi, que de uma forma bastante natural, é quase impossível não criar empatia com São Miguel. Muito confuso? Vou resumir. São Miguel, é uma espécie de paraíso, com o qual é (quase) impossível não criar empatia.

Quando pensamos que já vimos tudo, que é impossível surgir alguma coisa mais bonita ou mais interessante, entre um arvoredo ou numa conversa de café, lá surge a magia. Açores e São Miguel são assim, uma constante descoberta.

Não digo que são as melhores, digo que são 10 obrigatórias. Uma espécie de empurrão, no que toca à experiências em São Miguel. Para facilitar a vida a quem vai viajar para lá ou para seduzir (fácil) a quem nunca sequer pensou viajar até a esta pérola no meio do Atlântico.

#PLANTAÇÕES E FÁBRICA DE CHÁ GORREANA

Orgulho açoreano! Uma das poucas plantações de chá comercial da Europa, o que atesta São Miguel como destino tropical. É visita obrigatória. Fica no lado norte da ilha, tem umas paisagens lindíssimas e tem de deixar os clichés de lado e trazer como recordação umas amostras de chá da Gorreana. Vai sentir os Açores em sua casa. 

#LAGOAS

Tema incontornável em São Miguel. Começo pela incontornável Lagoa das Cidades. É muito visitada? Certo! Mas é lindíssima (quase impossível não abrir a boca de espanto, mesmo à 20ª visita). A Vista do Rei é bonita, a vista do miradouro da Lagoa do Canário (num dia de céu limpo) é do outro Mundo. Tem vista para a Lagoa das Cidades e ainda recebemos a Lagoa de Santiago como bónus. Depois ainda tempos a Lagoa da Empanadas, bem no meio de uma floresta. A Lagoa do Fogo, para muitos a mais bonita, para mim a mais imponente. E, ainda, a Lagoa da Furnas, um verdadeiro clássico açoreano. Se na base é bonita, experimentem o Miradouro do Pico do Ferro (monumental).

#POÇA DA DONA BEIJA

Uma espécie de SPA selvagem 😉 . Fica na localidade de Furnas (mesmo ao lado da lagoa). Também me falaram que é conhecida como Poça da Juventude e confesso que quando sai de lá, senti-me um bocadinho mais novo (ou com mais saúde) 😉 . Um conjunto de tanques (ou poças), com muito bom aspecto e com água termal, com uma temperatura a rondar os 40º. Para o corpo e mente. Dica: levem um fato de banho velho 😉 .

#PRAIAS

Sim, existem praias lindíssimas em São Miguel. Praia de Santa Bárbara, para surf. Praia do Fogo, com um envolvência incrível. Ponta Ferraria, para mergulhos em água quente (e fria, é tipo mix 😉 ). E o ilhéu de Vila Franca do Campo, aquele dos saltos para água da Red Bull, que é lindíssimo e certamente diferente de todas as praias onde já estiveram.

#PARQUE TERRA NOSTRA

Não tenho dúvidas que é um dos jardins mais bonitos do Mundo. Absolutamente incrível. De uma dimensão e diversidade, só possivel numa sui generis ilha no meio do Atlântico. Impossível não ir lá.

#MERCADO DE PONTA DELGADA

Para quase todos os lugares eu recomendo o mesmo. Tem de visitar o mercado diário lá do sitio. E Ponta Delgada (e São Miguel) não é excepção! O cheiro a ananás “inunda” o espaço. Lá, encontra-se um pouco de tudo.

#CANYONING

Canyoning (muita gente me perguntou se ia fazer canoagem 🙂 ) é uma actividade que consiste na progressão num rio ou ribeira, ultrapassando diversos obstáculos (cascatas!!) independentemente da forma, seja em rapel, slide, salto ou simplestamente a escorregar. Muito arcaicamente é assim. Uma ótima maneira de conhecer outro lado da ilha (e umas cascatas de filme). Ribeira dos Caldeirões ou Salto do Cabrito, são muito muito bonitos e acessíveis a todos (quer dizer, esta experiência é mais para quem tem um perfil activo, mas não é necessário qualquer tipo de experiência na área).

#COMER E BEBER

Simples, não? O que mais me impressionou, a quantidade e qualidade dos produtos locais. Muitos dos quais nunca sequer tinha ouvido falar (malta das importações, como é possível!). O vinho branco do Pico, os queijos (meu deus!!), o Kima de Maracujá (devia ser considerado património 🙂 ), o ananás (não abacaxi, que diferença!), o chá da Gorreana (única plantação comercial da Europa), o Bolo Lêvedo das Furnas, o gelado da Quinta dos Açores (mais um que deveria ser património!), a carne de vaca, o atum, a cerveja Especial, um sem fim de coisas boas.Com tanto produto de qualidade, difícil é comer mal.

#LOUVRE MICHAELENSE

Uma casa com mais de 100 anos de história. Outrora já vendeu produtos vindos de Paris para a alta sociedade micaelense, hoje é um espaço cheio de pinta, ideal para um chá com um bolinho e uma boa conversa. Fica bem no centro de Ponta Delgada.

#WALK & TALK 

Festival criativo, que nos últimos anos tem levado à ilha centenas de artistas das mais variadas artes. Estar lá na altura do festival e acompanha-lo é interessante, mas não menos interessante é no pós festival, seguir o rasto deixado pelos artistas, num espécie de roteiro cultural pelas suas obras. Muito bom.

Comentários

comments

Previous Post Next Post

também vai gostar